Sombras Dos Desejos

 
Foto por Gustavo Almeida

Foto por Gustavo Almeida

Em um corpo de libido
Que se expande n’um altivo
Abrigo de cadência lívido
Encontro certo dolorido

Ao pulsar por longínquas terras.

Que terras são mais densas
E muito mais perigosas
Do que as d’pele de musas
Que nunca saem dos espelhos

De imagens eternizadas?

Que desejos são mais dolorosos
Do que estes lampejos
De fervorosos devaneios
D’alma libidinosa alimentada

Por uma poesia nervosa?

É tudo sombrio quando
Não se tem a musa correta
Em praia deserta coberta
Por qualquer sonho d’amor

Longe do urbano sufoco.

É tudo nefasto tanto quanto
Não poder dar um salto
Nest’lado por um acrítico
Remendo descalabro apodítico

Que alivia a tensão inquebrável.

É tudo maldição ter por dentro
A fome de Pan d’trópicos
Junto com Baco d’ruas
Não podendo jamais desfrutar

D’uvas d’uma Afrodite.

Desejos me quebram n’corpo
Desertos me fazem um copo
De areia movediça removendo
Sonhos sagrados grandiosos

Imaginados ao lado de musas eternas…

Libido é desgraça que porto
A libido é uma desgraçada porta
Aberta pel’unicidade mórbida
Dos invigilantes sussurros

D’mente minha morta…

Inominável Ser
LIBIDINOSO
PENSADOR
SOLITÁRIO

~

~
Leia também