Decapitado Trisoneto

 
Giuditta Con La Testa Di Oloferne - circa 1695 - Giovanni Gioseffo dal Sole

Giuditta Con La Testa Di Oloferne - circa 1695 - Giovanni Gioseffo dal Sole

Pego de surpresa pelo
augusto medo,
sou uma vítima torta
de direta derrota.

Pego pela alma como
produto cheio de dano,
sou um tributo sacrificado
ao ato nada santificado.

Estou decapitado,
aqui quem está presente
é um espantalho demente.

Estou decapitado,
aqui quem fica passando
é um zumbi sonhando.

Sonhando com uma chegada
da lâmina de espada sagrada
que corte os fios expostos
dos véus de venenosos ossos.

Sonhando como um porco
feliz por ser um mero porco
chafurdando na lama urbana
e comendo da larva arcana.

Somente mais um pouco
e eu me somarei ao
mais louco dos loucos.

Somente mais um pouco
e eu me deformarei ao
som de um pouso.

Pouso da lâmina nas mãos
da Judite do então,
que me fará ser um Holofernes
a ser comido pelos vermes.

Pouso da minha cabeça
acima da grande farta mesa,
que terá sangradas frutas
nascidas de minhas pústulas.

Decapitado continuarei
a confundir os meus finais
com os meus inícios.

Decapitado continuarei
a nunca iniciar
o que eu nem termino.

Inominável Ser
INOMINÁVEL
DECAPITADO
TRISONETISTA

~

~
Leia também